Fundação Hildebrando de Araújo
home
notícias
contato
Biografia
 
BIOGRAFIA HILDEBRANDO DE ARAÚJO

Hildebrando César de Souza Araújo cumpriu uma longa trajetória desde a infância em Imbituva até os sofisticados círculos sociais, empresariais e políticos do Paraná. Filho do professor Júlio César e dona Manuela de Souza Araújo, Hildebrando e seus irmãos Heráclides e Hostílio perderam o pai ainda crianças, o que não os impediu de cumprirem vidas plenas e produtivas. O médico Heráclides percorreu o mundo em trabalhos e pesquisas sobre a hanseníase, tornando-se reconhecido e famoso na especialidade. Hostílio, advogado, desenvolveu brilhante carreira em São Paulo e ocupou funções públicas importantes no governo do Estado do Paraná, entre elas Diretor do Ensino, antiga denominação para Secretário Estadual da Educação, e prefeito de Curitiba.

O sucesso profissional dos irmãos tem um pouco da mão do próprio Hildebrando. Altruísta, desprendido e preocupado com o desenvolvimento humano, assim que sua renda permitiu, passou a ajudar os irmãos financeiramente para que pudessem se dedicar aos estudos.

Nas primeiras décadas do século passado, o cidadão verdadeiramente proeminente era um generalista. Homem de seu tempo, Hildebrando de Araújo desenvolveu amplo leque de interesses, atividades e responsabilidades. Foi, grosso modo nesta ordem, funcionário, comerciante no varejo e no atacado, industrial, dono de jornal, político e, durante toda a vida, amante das letras e das artes e apaixonado polemista. Cada uma destas facetas reflete sua liderança natural e sua extraordinária capacidade de combinar o intelecto privilegiado e bem cultivado à facilidade no trato e no relacionamento pessoal.

A perda do pai e o início humilde como ajudante num armazém de secos e molhados foram exemplos de barreiras que, ao serem rompidas, impulsionaram Hildebrando por toda a vida. Das vassouras e fardos de mercadorias, passou logo ao atendimento aos fregueses. Cordial, afável, alegre e dono de excelente memória, começou valiosas relações a partir do balcão da loja de Nicolau Farhat, imigrante sírio respeitado na comunidade de Ipiranga, interior do Paraná.

As relações evoluíam na medida em que Hildebrando progredia. O patrão, bom negociante, soube perceber os dotes de seu funcionário, oferecendo-lhe desafios cada vez mais elevados e recompensando seus resultados. Graças às contribuições ao negócio, Hildebrando passou a "interessado", termos da época para o sócio nos dividendos. Anos depois, quando Farhat decidiu se retirar dos negócios, Hildebrando comprou a parte do ex-patrão e mentor.
A expansão dos negócios foi um passo natural, ainda que não menos difícil. O empresário interiorano passou a fazer compras nos grandes centros como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Para remunerar seu investimento nesta nova empreitada, Hildebrando agregou ao varejo a atividade atacadista, fornecendo mercadorias a comerciantes amigos e colaborando com os "safristas" de erva-mate. O relacionamento com os produtores de erva-mate propiciou seu ingresso na indústria.

Já casado com dona Leopoldina, decidiu se instalar em Curitiba, e comprou um engenho de beneficiamento de mate, estendendo seus interesses comerciais para a Argentina, onde formou boa clientela. A orientação e a influência política do sogro ajudaram a pavimentar o caminho de sua determinação. Ingressando na política, foi deputado por Ipiranga por várias legislaturas até que a ditadura do Estado Novo interrompeu esta trajetória. Sua liderança representava ameaça aos getulistas e Hildebrando de Araújo foi detido incomunicável no presídio improvisado na Sociedade Garibaldi, tendo seus bens interditados. Saúde, determinação e capacidade de trabalho invejáveis impediram que o episódio o abalasse física, moral ou materialmente.

Sua atividade à frente do Diário da Tarde é exemplar de seu perfil como empresário. Jornalista por vocação, sempre bem informado e com espírito competitivo, comandava tudo, desde a manchete e o tom das edições, até a distribuição, passando pela diagramação e pelo próprio funcionamento da primeira grande rotativa instalada no Paraná.

Hildebrando de Araújo era um homem de origem simples e assim permaneceu por toda a vida. Dono de vastíssima biblioteca numa das casas mais elegantes do sofisticado bairro do Batel, tinha na garagem automóveis importados, especialmente dos Estados Unidos. Sensível e culto, apreciava os espetáculos e a música erudita, colecionava peças de arte, gostava da qualidade e vestia-se bem. Mesmo assim, não se deixava levar pela moda, brincava acerca do preço de suas roupas e sapatos e fez questão de que o pomar de seu quintal ficasse junto ao muro para facilitar aos meninos da rua o acesso aos frutos.

As extraordinárias conquistas pessoais e materiais não fizeram Hildebrando de Araújo mais apegado a seu status e a seu patrimônio. Ao contrário, o conhecimento da realidade dos que se iniciam na vida profissional em desvantagem fez dele um dos grandes investidores na capacitação profissional de jovens carentes. Sem filhos para dar continuidade ao seu trabalho, Hildebrando e Leopoldina criaram e legaram à fundação Hildebrando de Araújo boa parte de seu patrimônio e a tarefa de administrá-lo, destinando a renda obtida para o investimento em projetos nas áreas de educação e capacitação.

 
Fundação Hildebrando de Araújo - 2010
Alameda Cabral, 300 Centro - Curitiba/PR - Brasil
fone: (55 41) 3225.2532 - fone/fax: (55 41) 3324.0336
e-mail: contato@fundacaohildebrando.org.br